Autoridades caribenhas debatem segurança alimentar

Súsan Faria

Fotos: Eliane Loin

IICA9Ministros e vice-ministros de Agricultura de 11 países do Caribe participam, em Brasília, de encontro que discute Segurança Alimentar e Nutricional. Embaixadores também participaram do debate. Eles querem acesso à tecnologia, cooperação e diversificação no comércio.

Metade dos adultos brasileiros e uma em cada criança do país na idade entre 5 a 9 anos de idade estão obesas. Setenta por cento das doenças dos brasileiros são resultados de má alimentação. Há um crescimento do excesso de peso e obesidade e inadequação do padrão alimentar.

Caio Tibério da Rocha, secretário nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (SAN) do Ministério do Desenvolvimento Social (MDS).
Caio Tibério da Rocha, secretário nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (SAN) do Ministério do Desenvolvimento Social (MDS).
As informações foram dadas na tarde de hoje, 12, pelo secretário nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (SAN) do Ministério do Desenvolvimento Social (MDS), Caio Tibério da Rocha. Ele falou sobre as Políticas de SAN no Brasil durante o encontro“Cooperação Sul-Sul/Brasil-Caribe”, na sede do Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA), no Lago Sul. O IICA e o MDS promovem o encontro. Amanhã, 13, a missão de estrangeiros fará visitas técnicas à Embrapa Hortaliças e à Central de Abastecimento do Distrito Federal (Ceasa).

IICA10Segundo Caio Rocha, combater o sobrepeso e ao mesmo tempo retirar mais de 7,2 milhões de pessoas da situação de insegurança alimentar grave são alguns dos principais desafios da política brasileira de segurança alimentar. O secretário explicou que o problema da má nutrição – e suas consequências na saúde e na SAN – afeta os países de diferentes formas, seja pelo problema da fome e da desnutrição, seja pela epidemia do sobrepeso e obesidade (doenças correlacionadas).

O secretário disse que em 159 municípios brasileiros, crianças de zero a cinco anos de idade estão desnutridas. Ao mesmo tempo, Caio Rocha destacou avanços como a Lei Orgânica e o Conselho Nacional de SAN, que tem 60 representantes, 20 governamentais e 40 da sociedade civil, os planos safra da Agricultura Familiar e Agricultura Empresarial, dentre outros projetos.

De acordo com Caio Rocha, a troca de experiências é fundamental para que os países do Caribe possam aperfeiçoar as ações.   “Temos muita experiência na organização da agricultura familiar, além de sermos um dos protagonistas mundiais na produção de alimentos”, disse. A seu ver, o encontro possibilitará a troca de informações e a soma de esforços para fortalecer ações e programas de SAN. Durante a palestra, Caio Rocha falou sobre o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) que compra alimentos produzidos pela agricultura familiar com dispensa de licitação destinados a entidades socioassistenciais. Em 2017, o governo federal comprou 348.457 toneladas de alimentos doados a 28.183 entidades.

Manuel Otero, diretor-geral do Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA)
Manuel Otero, diretor-geral do Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA)

O diretor-geral do Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA), Manuel Otero, destacou a importância da missão caribenha e disse que o IICA pretende estabelecer pontes em diversas regiões. “O Brasil tem muitos bons exemplos de agricultura. Modelos facilmente identificados de melhores práticas na área”, disse.

Otero assumiu a direção do IICA em janeiro deste ano e afirmou que quer menos burocracia e mais proximidade entre os países membros do Instituto, bem como acelerar o processo de cooperação Sul/Sul. “Não há solução única para todos, a estratégia tem de ser diferenciada, com o empoderamento da região do Caribe e mais competitividade. Estamos prontos para cooperar”, afirmou.

IICA7Também na mesa do encontro, o embaixador João Almino, diretor da Agência Brasileira de Cooperação (ABC) do Ministério das Relações Exteriores (MRE), afirmou que existe um intenso interesse pelas políticas brasileiras de SAN e disse que os principais eixos na área são o fortalecimento do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) e da Agricultura Familiar, a proteção social e inclusiva e a promoção de hábitos saudáveis.

Alexis Jeffers,ministro da Agricultura de São Cristovão e Nevis
Alexis Jeffers,ministro da Agricultura de São Cristovão e Nevis

Já o ministro da Agricultura de São Cristovão e Nevis, Alexis Jeffers, lembrou que seu país é pequeno, mas tem um papel importante. “Todos aqui estão recebendo e ofertando. Estamos abertos. Os estados caribenhos têm preocupações e objetivos similares”, afirmou.

IICA1

Os ministros e vice-ministros de Antígua e Barbuda, Dominica, São Cristóvão e Nevis, São Vicente e Granadinas, Santa Lúcia, Bahamas, Guiana, Haiti, Jamaica, República Dominicana e Suriname participam do encontro, além de autoridades do MDS, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, IICA, MRE e representantes da Comunidade do Caribe (Caricom), da Organização dos Estados do Caribe Oriental (OECS) e do Instituto Caribenho de Pesquisa e Desenvolvimento da Agricultura (Cardi).

Visitas – Na terça-feira, 13 de março, no segundo dia de atividades em Brasília, os ministros e representantes caribenhos visitarão, em uma unidade da Embrapa, uma câmara de simulação climática para a produção de hortaliças com diferentes condições ambientais e uma estação de produção de fertilizante orgânico. Também comparecerão à conferência “Boas práticas de produção de hortaliças para a agricultura familiar”.

IICA9As autoridades também visitarão a Central de Abastecimento do Distrito Federal (Ceasa), onde conhecerão um programa de aquisição de alimentos que se tornou exemplo de política pública para a compra de produtos agropecuários da agricultura familiar e, em seguida, para a sua distribuição e comercialização.

Para encerrar as atividades no Brasil, os ministros caribenhos se reunirão com o titular da pasta de Desenvolvimento Social, com o diretor-geral do IICA e com líderes da bancada parlamentar brasileira do agronegócio. Em seguida, os ministros e representantes caribenhos seguirão viagem para a Argentina. Mais informações no site http://www.iica.int/pt/content/ministros-de-agricultura-do-caribe-buscam-no-brasil-acesso-tecnologia-coopera ou telefone 55-61-2030-1505.

IICAIICA13IICA12IICA3 IICA4IICA6