Câmara Árabe Brasileira promove dez missões em 2019

Nesta quinta-feira, o presidente da entidade, Rubens Hannun, apresentou aos associados as realizações de 2018 e as ações programadas para este ano

Isaura Daniel

isaura.daniel@anba.com.br

Nesta quinta-feira (7), a Câmara de Comércio Árabe Brasileira apresentou aos seus associados o plano de ações para 2019, que inclui a promoção de três fóruns, duas rodadas de negócios, dez missões e a participação em sete feiras, entre outras. actividades. Neste ano, a entidade passa a implementar um planejamento estratégico com foco em 2028 e a meta de elevar os países árabes do quinto para o terceiro maior parceiro comercial brasileiro.

 “Nesse novo planejamento estratégico, temos um objetivo definido de conectar brasileiros e árabes para promover o desenvolvimento econômico, social e cultural”, disse o presidente da Câmara Árabe, Rubens Hannun, aos empresários presentes. O presidente falou sobre a importância dos laços além do comercial para fortalecer a relação entre o Brasil e os países árabes. “Se houver uma base social e cultural, vai durar”, disse ele.

Este ano, a Câmara Árabe terá atividades em 11 países além do Brasil. Em março, a entidade participa da Anufood em São Paulo, exibindo importadores árabes. No mesmo mês, também em São Paulo, será promovida uma exposição fotográfica dos países árabes e, em abril, será lançado um comitê de empresárias brasileiras e árabes. Em maio, a entidade terá um estande na feira de alimentos Aspas Show, em São Paulo, com expositores árabes.

Também no cronograma está a promoção de um seminário sobre como investir nos Emirados Árabes Unidos em maio, e outro sobre as relações entre o Brasil e a Arábia Saudita em junho, ambas em São Paulo. A feira de turismo ABAV Expo, em setembro, contará com a entidade, que também sediará o fórum Brasil-Árabe no varejo no mesmo mês, em São Paulo. Os países onde a entidade levará missões incluem a Arábia Saudita, Bahrein, Qatar, Kuwait, Omã, Egito, Sudão, Líbano e Síria.

As feiras nos países árabes, onde a Câmara Árabe estará presente, incluirão a feira de alimentos Gulfood nos Emirados Árabes Unidos neste mês; a multisectorial Feira Internacional de Argel, a ser realizada na Argélia em julho, a Beauty Fair Middle East, a ser realizada nos Emirados Árabes Unidos em abril; Wetex, cobrindo sustentabilidade, em outubro nos Emirados Árabes Unidos; e a feira de turismo Arabian Travel Market, a ocorrer em maio nos Emirados Árabes Unidos.

O secretário-geral da Câmara Árabe, Tamer Mansour, deu detalhes sobre o calendário da entidade para seus associados e destacou algumas iniciativas, como as ações na Arábia Saudita. “Vamos mostrar aos sauditas que o Brasil tem um potencial (como fornecedor) muito além de carnes e aves”, disse Mansour. Uma missão será levada para aquele país e outra para o Bahrein em abril. Para setembro, está prevista uma semana cultural brasileira na Arábia Saudita.

Mansour disse ainda que a entidade ajudará a abrir o mercado argelino às empresas brasileiras e convidou os empresários a verem o potencial de países árabes como o Qatar, sede da Copa do Mundo de 2022, e as oportunidades na Síria e no Líbano, especialmente em o setor de construção. Existem ações planejadas nesses quatro países. “Se nos conectarmos, elevaremos o Brasil do quinto para o terceiro parceiro”, disse ele.

O presidente da Câmara Árabe apresentou uma visão geral da operação da entidade em 2018. No ano passado, houve um total de 347 dias úteis de associados e diretores em países árabes, trabalhando com promoção comercial, negociação, ações culturais e muito mais. Dezesseis dos 22 países árabes e sete países não árabes foram visitados. Na Espanha, por exemplo, um acordo foi assinado com a Associação das Câmaras de Comércio e Indústria do Mediterrâneo. Na Malásia e na Indonésia, a entidade buscou refinar o mercado Halal.

A entidade teve um cronograma completo em 2018, tendo participado de feiras no Brasil e nos países árabes, além de ter promovido workshops, seminários, palestras, rodadas de negócios e missões. Dois destaques foram a realização do Fórum Econômico Brasil-Países Árabes, em São Paulo, em abril, e a abertura da sede da Câmara Árabe, em Itajaí, em maio. Aproximadamente 800 pessoas participaram do fórum, sendo 100 de países árabes. Dos 50 painelistas, 28 eram árabes. Michel Temer, então presidente do Brasil, falou no fórum.

O presidente da Câmara Árabe destacou a pesquisa que a entidade vem realizando sobre segurança alimentar, o processo de implementação de uma certificação online, a elaboração de um novo plano associativo e as ações de aproximação com o atual governo. Os líderes da entidade já estavam em duas reuniões com o vice-presidente Hamilton Mourão – em um deles, ele era o presidente interino – e apresentaram ao governo um estudo sobre a importância e o potencial do árabe marcado para os próximos quatro anos.

A Câmara Árabe recebeu seus associados e convidados para uma reunião matinal no auditório Walid Yazigi na sede da entidade. O evento foi seguido de uma conversa com o economista e anfitrião Ricardo Amorim.