Catedral de Notre-Dame é símbolo de Paris e começou a ser construída em 1163

Catedral de Notre Dame, em Paris — Foto: Patrick Kovarik/AFP Photo

Templo gótico foi atingido por incêndio nesta segunda. Localizada em uma pequena ilha na capital francesa e rodeada pelas águas do Sena, construção levou 180 anos para ficar pronta.

Por G1

A Catedral de Notre-Dame, atingida por um incêndio nesta segunda-feira (15), é um dos símbolos de Paris.

Conhecida por sua arquitetura gótica, que atrai milhões de turistas todos os anos, a igreja é famosa ainda por ter sido cenário do romance “O Corcunda de Notre-Dame”, lançado em 1831 por Victor Hugo (1802-1885).

A construção da catedral dedicada à Virgem Maria levou 180 anos: de 1163, quando começou a ser erguida no local onde ficava uma igreja romana, a 1345.

Localizado na Île de la Cité (uma pequena ilha no centro de Paris, rodeada pelas águas do rio Sena), o templo foi restaurado diversas vezes em seus mais de oito séculos de existência.

Em meados do século 12, essa igreja romana passou a ser muito pequena para a população de Paris, cujo crescimento havia disparado. Surgiu, então, o projeto de construir uma imensa catedral, de 135 metros de largura e 40 metros de altura, uma testemunha da prosperidade relativa do momento, quando a fome e as epidemias diminuíram.

Barco turístico passa pelo rio Sena com a catedral de Notre Dame coberta de neve ao fundo — Foto: Christian Hartmann/Reuters
Barco turístico passa pelo rio Sena com a catedral de Notre Dame coberta de neve ao fundo — Foto: Christian Hartmann/Reuters

O século 13 foi considerado um período negro para a catedral. Os líderes religiosos, estimando que os coloridos vitrais “comiam a luz”, substituíram muitos deles por cristais brancos.

Com a Revolução Francesa, a catedral foi fechada e nacionalizada. Seus tesouros foram roubados e a construção foi usada para armazenar alimentos.

Em 1801, a catedral foi restaurada para celebrar um acordo entre a França e a Santa Sé e para a coroação de Napoleão Bonaparte, em 1804. Mas em 1831 voltou a ser saqueada e teve seus vitrais quebrados.

No período romântico, que enaltecia a expressão artística de outras épocas, a Notre-Dame foi vista com novo interesse. Foi, então, que o escritor Victor Hugo, em seu livro “O Corcunda de Notre-Dame”, lançou o grito de alarme, alertando que a histórica catedral estava em ruínas.

Comensais servem-se no tradicional 'Jantar Branco', em frente à Catedral de Notre Dame, em Paris, nesta quinta-feira (16) — Foto: Reuters
Comensais servem-se no tradicional ‘Jantar Branco’, em frente à Catedral de Notre Dame, em Paris, nesta quinta-feira (16) — Foto: Reuters

A “ressurreição” da construção começou em 1844, guiada pelos arquitetos Eugène Viollet-le-Duc e Jean-Baptiste Lassuss, que morreria em 1857. A restauração, que respeitou materiais, estilos e épocas, se estendeu durante mais de duas décadas.

Entre 1990 e 1992, o alvo da restauração foi o grande órgão da Catedral de Notre-Dame, um dos instrumentos mais famosos do gênero no mundo. O site oficial do templo cita que também foi promovida uma limpeza na fachada, que durou mais de dez anos.

O material de divulgação cita, por fim, que “longe de ser um museu, a catedral é, desde suas origens, a Casa de Deus e a Casa dos Homens”.

Os oito novos sinos de bronze da catedral Notre Dame de Paris foram abençoados neste sábado — Foto: Gonzalo Fuentes/Reuters
Os oito novos sinos de bronze da catedral Notre Dame de Paris foram abençoados neste sábado — Foto: Gonzalo Fuentes/Reuters
Incêndio atingiu a Catedral de Notre-Dame nesta segunda (15) em Paris. — Foto: François Guillot/AFP
Incêndio atingiu a Catedral de Notre-Dame nesta segunda (15) em Paris. — Foto: François Guillot/AFP