Egito nomeado como anfitrião da Copa das Nações Africanas de 2019

BBC

O Egito sediará a Copa das Nações Africanas de 2019, anunciou a Confederação Africana de Futebol (Caf). O Egito venceu a África do Sul, a única outra nação a participar da disputa, por 16 votos a favor, 1 contra e 1 abstenção em uma votação do Comitê Executivo do Caf no Senegal.

A nação anfitriã original dos Camarões foi destituída dos serviços de preparação em novembro por causa de preparativos lentos. O Egito tem apenas cinco meses para se preparar para as finais ampliadas de 24 equipes, que começam em junho. Será a quinta vez que o Egito, que venceu o torneio na última vez em que foi anfitrião, em 2006, encenou o torneio.

“Quero agradecer ao Comitê Executivo (Caf) pela confiança e agradeço ao governo por este apoio”, disse o presidente da Egypt FA (EFA), Hany Abu Rida.

“Nós organizamos o torneio em 2006 e isso nos faz contra um desafio de fazer melhor e melhor, estamos prontos para esta honra.”

“A garantia do governo nos ajudou a vencer a África do Sul e isso nos ajudará a fazer um bom torneio”, acrescentou Ahmed Shobair, vice-presidente da FA do Egito.

“Os torcedores estarão de volta nos estádios, que estarão lotados no torneio que prometo.”

O Egito vai usar oito estádios durante o torneio, sediando cinco cidades diferentes: Alexandria, Ismailia, Port Said, Suez e a capital Cairo. Caf tinha originalmente planejado nomear os novos anfitriões na quarta-feira, 9 de janeiro.

Desde que tirou os Camarões do evento deste ano, Caf ofereceu ao país a chance de finalizar as finais em dois anos, o que significou que os anfitriões originais para as finais de 2021 e 2023 foram solicitados a adiar seus torneios.

Costa do Marfim, que foi definida para sediar o 2021, protestou contra a decisão no Tribunal de Arbitragem do Esporte. A federação de futebol da Guiné anunciou na segunda-feira que concordou em mudar sua organização para a Copa das Nações de 2023 a 2025.

O anúncio de terça-feira aconteceu na capital senegalesa, Dakar, que sediará a cerimônia de premiação anual do Caf no final do dia. Mohamed Salah, do Egito, quer manter o título ao enfrentar Pierre-Emerick Aubameyang, do Gabão, e Sadio Mane, do Senegal, pelo prêmio de Jogador Africano do Ano.