Equador tem novo embaixador

Súsan Faria

O diplomata de carreira Diego Rivadeneira Espinosa  assumiu, nessa segunda-feira (29),  o posto de embaixador do Equador no Brasil.  Casado com uma brasileira, Diego já foi chefe de missão no Brasil anteriormente. A nomeação foi feita pelo presidente Lenín Moreno. Há um ano e dois meses, a vaga estava aberta naquela embaixada em Brasília. Quem respondia pelo órgão era a encarregada de Negócios, Susana Fuentes, que permanece no cargo. O diplomata ocupava a função de diretor de Integração Regional do Ministério de Relações Exteriores e Mobilidade Humana.

O novo embaixador assume a missão em momento importante para o comércio bilateral entre Brasil e Equador. Há muitos anos, os equatorianos querem exportar pescado e frutas para o mercado brasileiro. Em dezembro de 2017, o presidente Michel Temer, em discurso durante o encerramento da Cúpula de Chefes de Estados do Mercosul e Estados Associados, em Brasília, deu a boa notícia: “Eu quero também tomar a liberdade de comunicar ao embaixador do Equador. Há um pleito antigo, pediria que transmitisse ao presidente Lenín Moreno – que acaba de me comunicar o ministro da Agricultura – que está liberada a importação de bananas e camarões, que era algo postulado há muito tempo pelo Estado do Equador”.

O primeiro carregamento de camarões equatorianos para o Brasil já chegou a São Paulo. A banana daquele país é diferente da brasileira e com ela o povo andino da região faz diversos e tradicionais pratos culinários. Brasil e Equador estabeleceram relações diplomáticas em 1844.