‘EXPO-2017 Energia do Futuro’ promete movimentar o mundo

Cazaquistão17Maior evento de energia do planeta será em Astana e Cazaquistão abre oportunidade para expositores brasileiros

| Oda Paula Fernandes

Fotos: Eliane Loin

O Cazaquistão ganhou em 2012 na 152ª Assembleia Geral do Gabinete Internacional das Exposições em Paris, por votação, o direito de realizar a Expo-2017 Future Energy, o maior evento de energias renováveis. A capital do Cazaquistão, Astana, que comemora o 20º aniversário neste ano tem motivos de sobra para celebrar em grande estilo, porque ela será o lar de várias culturas de todos os cantos do mundo entre 10 de Junho e 10 de setembro.

Os organizadores da exposição pretendem chamar a atenção mundial para a emergência do problema ecológico do abastecimento energético, que tem um impacto cada vez maior nas alterações climáticas. A construção da sede do evento já está pronta. Com estilo moderno e ecologicamente correto, o centro é um modelo de espaço ecologicamente correto e alguns países iniciaram a montagem de stands que variam de 50 a 1000 metros quadrados.

Cazaquistão16Kairat Sarzhanov, embaixador do Cazaquistão no Brasil, diz que esta é uma oportunidade para empresas brasileiras – do segmento de energias – participarem do evento como expositores. “A EXPO-2017 é um evento único em seu escopo, na inovação e na quantidade de visitantes”, revela Sarzhanov.

Ao lado dos Estados Unidos e Europa, há um espaço privilegiado reservado para empresas brasileiras, que ainda queiram participar como expositoras. Por parte do governo daquele país houve empenho pessoal ao convidar o presidente Michel Temer a comparecer na abertura do evento. Por enquanto, o Brasil não terá representação empresarial na Exposição.

Exposição – O objetivo é promover tecnologias verdes por meio do intercâmbio na busca por soluções inovadoras no uso de fontes alternativas de energia. “Ela permitirá aos países demonstrar os seus melhores desenvolvimentos no domínio da utilização de fontes de energia renovável, o que dará um impulso significativo ao desenvolvimento da ciência mundial no domínio dos estudos ecológicos”, afirma o embaixador.

Já foi confirmada a participação de 115 países e 18 organizações internacionais. isso, segundo Sarzhanov,  indica que a comunidade mundial tem expressivo interesse em conhecer, em demonstrar e até mesmo aderir novas possibilidades de fontes alternativas de energia.

De acordo com Kairat Sarzhanov, Argentina, Chile, Bolívia, Venezuela, Paraguai e Equador confirmaram presença, como expositores no evento e estão prontos para apresentar sua visão para o desenvolvimento de energia verde. Já a participação do Brasil, foi cancelada. A empresa que inicialmente expressou a intenção de representar o Brasil na Expo-2017, a Itaipu Binacional, líder mundial no desenvolvimento de energia limpa e renovável, cancelou a participação ‘na última hora’. “Citando dificuldades econômicas, recusaram-se a participar da exposição alguns meses antes de início do evento”, lamenta.

Desistência – O Ministério de Minas e Energias (MME) escolheu a empresa Itaipu Binacional para representar o país na Expo-2017. Mas há poucos dias antes do início do evento, a nova gestão da Itaipu alegou dificuldades financeiras e abandonou o espaço, de 1.000m2, onde seria uma das estrelas internacionais em Astana. Tudo, devido a vários fatores como a situação atual da política econômica que o Brasil vive, a troca de presidente do Brasil – Dilma/Temer – e ainda, mudança de gestores da Itaipu Binacional.

Considerado o maior investidor do setor – está implementando um dos maiores programas de energia renovável do mundo relacionados com a produção de combustível etanol – com a saída da Itaipu Binacional, o Brasil simplesmente não tem nenhum representante.

Oportunidade – Para participar, os empresários interessados devem procurar o MME e apresentar a intenção em expor. Depois, é só seguir as regras do Ministério, escolher o tamanho do stand que varia entre 50m2 e 1.000m2 e fazer negócios. A organização estima que em apenas três meses a exposição seja visitada por mais de 3 milhões de pessoas.

Sarzhanov reconhece que a situação é delicada, e mesmo assim, aposta que esta é uma excelente oportunidade para que empresários brasileiros, de empresas menores, possam expor e entrar neste mercado promissor de energias verdes. “Chefes de Estado e de governo, políticos, cientistas mundialmente famosos, pessoas que receberam prêmio Nobel, investidores, representantes de organizações internacionais e da comunidade empresarial participarão do evento global”, aponta o embaixador.

Agenda – Na agenda, está prevista a realização de outros eventos internacionais, como o Fórum a Conferência Internacional “Turismo e Energia do Futuro”, “Futuro da Energia”, a Cimeira da Organização da Cooperação Islâmica sobre Ciência e Tecnologia o “Fórum Econômico de Astana”, a Conferência Internacional Fórum de Mulheres “Mulheres para a Energia Futura”.