[:pb]Festa marca data nacional dos Camarões[:]

[:pb]Foto23O embaixador Martin Agbor Mbeng e a embaixatriz Laura (foto) receberam a comunidade diplomática, autoridades e amigos para comemorar a criação da República Unida do Cameroun (Camarões), dia 20 de maio de 1972. Além de apreciar muita comida e música típica, os convidados também puderam assistir a um desfile de trajes camaroneses.

Camarões fica situado no coração da África, na junção da África Equatorial e da África Tropical ao fundo do Golfo de Guiné, acima do Equador. Foi ocupado no século X por bantos que praticavam o pastoreio e a agricultura. Entre os séculos XVI e XIX tornaram-se entreposto de escravos e de produtos tropicais. Em 1884, os alemães estabelecem um protetorado, legitimado pela Conferência de Berlim. Com o fim da II Guerra Mundial, a região foi repartida entre França e Inglaterra. Abrigando 230 etnias, Camarões tem o francês 70% e o inglês 30% como idiomas oficiais, mas há 250 línguas e dialetos nativos.

Descoberto em 1472 pelo português Fernando Poo, Camarões se abre com os europeus pelo tráfico de escravos. De 1884 a 1915, o país fica sob protetorado alemão. A partir de 1919, Camarões foi dividido em duas partes que ficavam respectivamente sob mandato da França para a zona oriental e da Grã-Bretanha para a zona ocidental. Os dois territórios foram, outra vez, colocados sob a tutela das duas autoridades colonizadoras em 1943. Independente em 1° de janeiro de 1960. Em 1° de outubro de 1961, uma parte de Camarões britânico se liga à Nigéria à parte meridional, quando a outra volta para a mãe pátria, Camarões Oriental.

Assim, Camarões se tornara sucessivamente uma Federação de dois Estados, e depois um Estado unitário após o Referendum de 20 de maio de 1972. Enfim, pela recente revisão constitucional de fevereiro de 1984, o país atravessa mais uma nova etapa na integração retomada a denominação de “República dos Camerões”.

Foto12Foto13Foto14Foto8

 

 [:]