Fórum no Panamá discute oportunidades de negócios entre América Latina e países do Golfo

Comex do Brasil

Estreitar as relações entre o Panamá e Dubai foi o principal foco do Fórum Global de Negócios da América Latina, realizado entre os dias 9 e 10 de abril em Playa Bonita, no Panamá. O fórum atraiu 800 representantes de 50 países, que discutiram novas oportunidades de negócios em ascensão na região da América Latina e do Caribe (LAC), bem como do Golfo Árabe.

Organizado pela Câmara de Comércio e Indústria de Dubai em parceria com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), o fórum contou com 17 painéis que tiveram a participação de 46 palestrantes das duas regiões, incluindo Emirados Árabes Unidos (EAU), Panamá, Haiti, EUA, Brasil, Argentina, Colômbia, México, Uruguai, Jamaica, República Dominicana, Honduras, Equador e Paraguai.

Entre os participantes e palestrantes, destacaram-se o presidente do Panamá, Juan Carlos Varela, e o presidente do Haiti, Jovenel Moise, além de diversos ministros de países latino-americanos, autoridades governamentais de primeiro escalão e líderes empresariais de ambas as regiões.

Durante os dois dias de evento, foi realizado um painel especial sobre o Brasil, com participação de Carlos Pio, secretário executivo da Câmara de Comércio Exterior do Brasil (CAMEX), Alexandre Baulé, fundador e CEO da BPAR, e Wilson Poit, empresário, empreendedor e membro do conselho da Focus Energia.

Eles discutiram o impacto da participação do governo nos negócios, bem como a sua conexão com a corrupção. O principal destaque do painel foi a constatação da necessidade de se criar valor sustentável a partir de investimentos, a fim de evitar a existência de subsídios ineficientes que gerem impacto negativo na sociedade e no sistema.

Cristina Junqueira, cofundadora e vice-presidente do Nubank, ao lado de James Scriven, CEO da IDB Invest, e Zachary Harding, fundador e CEO do Hyperion Equity in Jamaica, participaram de um painel sobre a Revolução das Fintechs e como a transformação digital dos serviços financeiros introduziu novos atores no sistema financeiro, oferecendo alternativas inovadoras para os mercados de empréstimo em múltiplas regiões.

Segundo Cristiane Junqueira, “há uma tendência mundial para a terceirização e o corte de custos. Ao desenvolver produtos e serviços, é preciso garantir que eles funcionem muito bem, o que requer uma interface sofisticada e pessoas que tenham autonomia para resolver problemas e oferecer uma solução às pessoas”.

Segundo Hamad Buamim, presidente e CEO da Câmara de Comércio e Indústria de Dubai e presidente da Confederação de Câmaras Internacionais: “A terceira edição da GBF América Latina atingiu seus objetivos de analisar o potencial inexplorado do comércio entre as regiões LAC e Golfo Árabe, fomentando um diálogo construtivo entre as comunidades comerciais de ambos os lados e criando possibilidades de novas parcerias.

O fórum no Panamá é o primeiro evento desse tipo a ser realizado na região da América Latina e mostrou-se um grande sucesso, uma vez que atraiu um grande público, o que vemos como um sinal positivo da crescente confiança em Dubai como o hub preferido para empresas latino-americanas”.

O evento também funcionou como uma plataforma eficiente para conectar as empresas participantes. Mais de 300 encontros bilaterais de negócios aconteceram paralelamente ao evento.

O fórum de dois dias jogou luz em tendências de destaque, desafios e oportunidades em ascensão nas regiões do Golfo Árabe e LAC, além de identificar setores e áreas específicas em que empresas de ambas as regiões podem expandir sua cooperação, como segurança de alimentos e agronegócio, setor financeiro e fintechs, zonas francas, comércio de commodities, turismo e energia renovável.