Governo do Amazonas e Chile estreitam laços para alternativas econômicas

Amazonas Notícias

O governador em exercício e secretário de Saúde, defensor Carlos Almeida, se reuniu na quarta-feira (06), com o embaixador do Chile no Brasil, Fernando Schmidt; o cônsul honorário, Raul Echenique; e futura consulesa do Chile, Maria Carolina Enchenique, para estreitar as relações com o Estado do Amazonas. Na ocasião, foram abordadas alternativas econômicas como mineração e piscicultura, além de discutir a problemática continental da imigração venezuelana.

A reunião contou, ainda, com a presença dos secretários de Planejamento (Seplancti), Jório Veiga Filho; Fazenda (Sefaz), Alex Del Giglio; Assistência Social (Seas), Márcia Sahdo; e Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc), Caroline Braz.

Almeida destacou a diversificação da matriz econômica como política do governador Wilson Lima e ressaltou a importância do modelo Zona Franca de Manaus (ZFM) que ocupa posição estratégica para a trazida de investimentos externos, inclusive chilenos.

“Expertise na mineração e a expertise na piscicultura são de importância estratégica nossa para a internalização de mão-de-obra e internalização de procedimentos que possam gerar economia no nosso Estado”, explicou Almeida.

O governador em exercício afirmou que a implementação de modelos como a mineração pode gerar o desenvolvimento econômico e geração de empregos para investimentos a médio e longo prazo.

O embaixador do Chile no Brasil, Fernando Schmidt, esclareceu que existe uma relação maior com a região Centro-Sul e a vinda à Manaus é para que haja uma aproximação com o Amazonas.

“O Chile e o Amazonas são um país e uma região mineradoras, de uma riqueza enorme no minério. Países que podem trocar experiências importantes na área da pesca. São diferentes os tipos de pesca, mas as técnicas e políticas públicas para favoreceram a pesca são igualmente importantes”, pontuou Schmidt.

Turismo – O embaixador também salientou sobre o transporte de passageiros entre o Amazonas e o Chile, já que atualmente existem cinco linhas aéreas que conectam o Brasil ao Chile, porém nenhum direto a Manaus. “Poderia ser facilitado o turismo. São praticamente 1 milhão de turistas que trocamos a cada ano. Isso é muito significativo e muito expressivo do nível de interesse, mas muito poucos conhecem desses turistas. Apesar de estar longe do Amazonas, acreditamos que podemos fazer muito”, disse.

Imigração venezuelana – De acordo com o governador em exercício, a experiência chilena em relação à situação sócio-política na Venezuela, que tem levado os venezuelanos aos países vizinhos, vai auxiliar na aplicação de soluções no Amazonas, em especial a situação socioeconômica dos índios warao.

A secretária Márcia Sahdo contou que haverá um contato direto com o embaixador do Chile para o complemento das ações que já estão sendo realizadas pelo Estado. “O certo é que nós precisamos ampliar as parcerias para atender o quantitativo que hoje nós temos, principalmente de venezuelanos indígenas que a gente ainda não conseguiu estabelecer um plano para interiorizar, para encontrar atividades no interior do Amazonas”, enfatizou a secretária.

Segundo a secretária da Sejusc, o Estado recebe 100 venezuelanos por dia, há 291 pessoas vivendo na rodoviária de Manaus e 420 indígenas no abrigo. “Estamos resolvendo toda a documentação dos imigrantes, resolvendo até mesmo a colocação no mercado de trabalho e temos tido um bom resultado com os não-indígenas, mas a preocupação com a população indígena para que ele consiga permanecer com a sua cultura”, contou.

Solenidade – Na noite desta quarta-feira (06/02), acontece a Cerimônia de Condecoração ao cônsul honorário, Raul Echenique, e posse da nova consulesa honorária do Chile, Maria Carolina Enchenique, no Palácio Rio Negro, a partir das 19 horas. O cônsul ocupou o cargo por 28 anos e a filha assume a tarefa a partir deste mês de fevereiro.