IICA apresenta projetos de mitigação dos impactos das mudanças climáticas

Com o aumento da população mundial e o impacto do clima, um dos maiores desafios da atualidade é a produção de alimentos saudáveis com respeito ao meio ambiente. Para debater o tema na perspectiva do papel da cooperação internacional, está sendo promovido hoje, em Brasília (DF), o seminário “Agro em Questão – cooperação internacional e desenvolvimento rural sustentável”, que contou com a participação do Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA).

Hernán Chiriboga, Representante do IICA no Brasil, participou do segundo painel, com o tema “Os desafios das mudanças climáticas para a produção de alimentos: a cooperação entre agricultores brasileiros e organizações internacionais”. Ele apresentou projetos de cooperação que o IICA mantém com instituições parceiras, relacionados a temas como reúso de água no meio rural; combate à desertificação e recuperação de áreas degradadas; tecnologias de dessalinização de águas salobras ou salinas provenientes de poços profundos; revitalização de bacias hidrográficas; suinocultura e pecuária de baixa emissão de carbono.

“São ações concretas que o IICA desenvolve, com recursos próprios ou em conjunto com os governos federal e estaduais e agências financiadoras, como práticas sustentáveis que podem ser compartilhadas e implantadas também em outros países”, aponta Chiriboga.

Fundos internacionais

No painel “Fundos internacionais, setor público e produtores rurais: parcerias para o desenvolvimento sustentável da agropecuária no Brasil” foram tratadas as estratégias para atrair investimentos para os países se adaptarem às mudanças climáticas. Fabiana Viterbo, coordenadora do Programa Semear Internacional, que é executado pelo IICA e pelo Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA), abordou as ações do FIDA no Brasil e as ações implantadas pelo Programa Semear para a melhoria da qualidade de vida no meio rural.

Voltado para a gestão do conhecimento, monitoramento e difusão de informações junto a projetos na região semiárida do Nordeste brasileiro, o Semear Internacional trabalha principalmente com capacitações. “Promovemos trocas de experiências e difusão das boas práticas entre os agricultores familiares beneficiários dos projetos, com foco no acesso a políticas públicas, desenvolvimento produtivo, cooperativismo e acesso a mercados”, destacou Fabiana.  A coordenadora também falou sobre o novo componente do Programa, relacionado ao intercâmbio de informações entre países da cooperação Sul-Sul, em particular nações africanas e o Brasil.

Outro destaque do debate foi o Fundo Verde do Clima (GCF, sigla em inglês). Segundo o representante da Secretaria de Assuntos Internacionais do Ministério da Fazenda, Érico Rocha, trata-se do maior fundo global para a redução das emissões de gases de efeito estufa e adaptação aos impactos das mudanças climáticas nos países em desenvolvimento. São mais de US$ 10 bilhões em recursos (30% já estão destinados a projetos) e 194 países envolvidos.

O Seminário Agro em Questão é promovido pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR).  O objetivo do evento é mostrar experiências e projetos institucionais e de cooperação internacional para a melhoria das condições socioeconômicas do meio rural. O evento continua na tarde de hoje, com o painel “Preservação ambiental e competividade agropecuária: parcerias entre produtores rurais e a sociedade civil organizada”.