Marrocos quer aumentar número de turistas brasileiros

Ana Cristina Dib

O Reino do Marrocos espera receber neste ano pelo menos 60 mil turistas brasileiros, repetindo as taxas de crescimento na casa dos dois dígitos registradas nos últimos anos. A expectativa é do diretor-geral da Delegação Oficial de Turismo do Marrocos, Abdellatif Achachi, que veio ao Brasil para a Semana do Marrocos, evento que atraiu um bom número de visitantes ao Conjunto Nacional, na Avenida Paulista, em São Paulo, de 27 de abril a 02 de maio.

No ano passado, visitaram o país africano 45 mil brasileiros, um avanço de 35% sobre o volume de 2016. “Desde a primeira edição da Semana do Marrocos, realizada em 2015, dobramos o número de visitantes brasileiros no país”, disse o executivo. No primeiro bimestre de 2018 já foi registrado um crescimento de 38% no número de turistas brasileiros ao Marrocos, comparado aos dois primeiros meses de 2017, somando 10 mil pessoas.

Segundo ele, a cooperação da companhia aérea estatal Royal Air Maroc teve papel importante nesse resultado. Desde o ano passado, são diários os voos diretos do Brasil a Casablanca, sendo quatro frequências a partir do Aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, e três do Aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro.

“São voos operados com o [Boeing 787] Dreamliner, aviões maiores, melhores e mais confortáveis. É um voo muito importante para o turismo do Marrocos”, explicou Achachi.

Além do apoio da companhia aérea, o governo marroquino fez, no ano passado, uma campanha de promoção do país entre os turistas brasileiros e portugueses em redes sociais como Twitter, Facebook, Instagram e Pinterest. O resultado alcançado foi tamanho que a campanha foi renovada até julho deste ano.

Outra ação promovida com bastante retorno foi a capacitação online de operadores turísticos brasileiros. “Nosso objetivo era capacitar 2 mil agentes, mas ultrapassamos a meta: chegamos a 6 mil [agentes capacitados]”, contou Achachi.

Para o diretor-geral do órgão marroquino, o balanço da Semana do Marrocos foi positivo. Ele destacou os desfiles de caftans, as roupas típicas de mulheres do país árabe, como um dos pontos altos do evento, que ainda ofereceu degustação de chá, tatuagens de hena, calígrafo e uma banda de músicos marroquinos, que divertiu os cidadãos que passaram pelo Conjunto Nacional durante o feriado prolongado.

O embaixador do Marrocos em Brasília, Nabil Adghoghi, disse que o evento contribuiu para divulgar a imagem positiva que o país árabe tem entre os brasileiros. “A novela O Clone, da Rede Globo, foi um divisor de águas. Ela ajudou a difundir o Marrocos entre os cidadãos brasileiros”, explicou, lembrando que o turista brasileiro gosta muito da arquitetura, culinária, joias e roupas do Marrocos. “Além de Marrakech, os brasileiros visitam muito Fez e Merzouga, para ver o deserto”, disse.

Achachi, do órgão de turismo do Marrocos, permanece no país até a sexta-feira (04). Tem na agenda reuniões marcadas com operadores turísticos nacionais, a fim de ampliar os pacotes oferecidos.

De olho no aumento da demanda, a Royal Air Maroc já pensa em ampliar a quantidade de voos do Brasil a Casablanca: segundo o gerente de vendas José Eduardo Azzolini, em outubro será aberto mais um voo a partir de São Paulo e outro do Rio de Janeiro, ampliando para nove as frequências. Em 2019, a intenção é que a rota Guarulhos-Casablanca ofereça voos diários.