[:pb]Mayanmar festeja 68 anos de independência[:]

[:pb]

            O Embaixador de Myanmar Thiri Pyanchi U Tun Nay Linn abriu as portas da residência oficial, em Brasília, para comemorar com amigos, diplomatas e outras autoridades, a data nacional do país. “Lembro as muitas pessoas que se sacrificaram pela nossa liberdade e que, graças a elas temos paz e prosperidade em um país democrático”, disse o embaixador em seu rápido discurso para os convidados. O diplomata explicou que, embora Myanmar tenha se tornado independente do Reino Unido em 4 de janeiro, esperou o fim das férias para que mais pessoas pudessem participar do almoço comemorativo oferecido por ele.

            Na opinião do cônsul honorário de Myanmar, o paulista Ricardo Cateb Cury, haviam dois motivos para se comemorar. “Primeiro, a independência, a consolidação do desenvolvimento; segundo, a adoção de uma constituição democrática”, explicou. Cury afirmou ainda que as pessoas em Myanmar são entusiastas e otimistas. Brasil e Myanmar matem relações diplomáticas desde 1982.

            Myanmar é um país do sul da Ásia continental limitado ao norte e nordeste pela China, a leste pelo Laos, a sudeste pela Tailândia, ao sul pelo Mar de Andamão e pelo Canal do Coco, a oeste pelo Golfo de Bengala e a noroeste pelo Bangladesh e pela Índia. Em 2006, a capital do país foi transferida de Rangum para Nepiedó (Nay Pyi Taw).

            História – Myanmar tornou-se independente do Reino Unido em 4 de janeiro de 1948, com o nome oficial de “União da Birmânia”, designação que voltou a adotar após um período como “República Socialista da União da Birmânia” (4 de janeiro de 1974 a 23 de setembro de 1988). Em 18 de junho de 1989, o regime militar birmanês anunciou que o nome oficial do país passaria a ser União de Myanmar. Porém, conforme a Constituição de 2009, o nome do país mudou para “República da União de Myanmar”.

            Economia – A economia do Myanmar é voltada, sobretudo, na agricultura e no comércio. As culturas dominantes são o arroz, a cana-de-açúcar, os legumes, o amendoim, a banana, o sésamo, o milho, a batata, o algodão, o tabaco e a juta. O país tem várias jazidas de prata, de cobre, de chumbo, de zinco, de tungsténio, de estanho, de petróleo, de gás natural, de rubis, de safiras e de esmeraldas. A indústria abrange o cimento, os produtos petrolíferos, o açúcar refinado, o óleo de amendoim, os produtos alimentares, as bebidas, os fertilizantes, o vestuário e os cigarros.

            Os produtos mais exportados são o arroz, a teca (madeira), os metais e as pedras preciosas. O gás natural poderá, a curto prazo, ser um forte produto no quadro das exportações. O turismo começa a ser uma atividade com reflexo na economia. Os principais parceiros comerciais são Singapura, o Japão, a Indonésia e a Tailândia. Em 2013, o PIB (nominal) de Myanmar situou-se em US $ 56,7 bilhões e seu PIB (PPP) em US $ 221,5 bilhões.

EmbMyranmarLiz2EmbMyranmar7

EmbMyranmar6EmbMyranmar5EmbMyranmar4EmbMyranmar3[:]