Menos coletes amarelos é prenúncio do fim do protesto, diz governo

Por sua vez, Jerome Sainte-Marie, do instituto francês Pollingvox, afirmou se tratar do “fim de um ciclo de mobilização”

Notícias ao Minuto Brasil

O governo francês manifestou no domingo (16) a esperança de que o protesto dos “coletes amarelos” chegue ao fim, depois de, nesse sábado (15), a mobilização ter registrado um acentuado declínio. Trata-se de “um passo atrás, e penso que é do interesse de todos, incluindo dos ‘coletes amarelos'”, que continue assim, disse, citado pela agência AFP, o ministro da Educação da França, Michel Blanquer.

Por sua vez, Jerome Sainte-Marie, do instituto francês Pollingvox, afirmou se tratar do “fim de um ciclo de mobilização”. Já o ministro do Interior de França, Christophe Castaner, notou que “a segurança de todos deve voltar a ser uma regra”.

A mobilização dos “coletes amarelos” registrou um claro recuo em toda a França, com cerca de 66.000 manifestantes às 18h (16h no horário de Brasília), em vez dos 126.000 contabilizados na semana anterior na mesma hora, segundo números fornecidos pelo Ministério do Interior.

Esta quinta jornada de contestação à escala nacional representou um teste para o presidente francês, Emmanuel Macron, insultado nas manifestações e que emitiu na sexta-feira um apelo para o regresso à calma e ao “funcionamento normal” do país, após ter anunciado no início da semana medidas para repor o aumento do poder de compra destinadas a pôr fim a esta crise social sem precedentes, nascida nas redes sociais para exigir melhores condições de vida.

Contrastando com a violência dos protestos dos quatro sábados anteriores, as últimas manifestações decorreram, na maioria, de forma pacífica, apesar de confrontos esporádicos registrados na Champs-Élysées, em Paris, onde a polícia dispersou os cerca de 300 ou 400 manifestantes ainda ali concentrados ao fim do dia, e depois reabriu a circulação.