Ministro Aloysio Nunes visita o Cazaquistão pela primeira vez

A visita ao Cazaquistão é dedicada ao 25º aniversário de relações diplomáticas entre os dois países e marca uma nova etapa no fortalecimento da amizade e da cooperação

O Ministro das Relações Exteriores do Cazaquistão, Kairat Abdrakhmanov, reuniu-se com o Ministro das Relações Exteriores do Brasil, Aloysio Nunes, pela primeira vez em Astana. Ao longo de 25 anos de parceria, Cazaquistão e o Brasil tiveram suas relações fortalecidas graças à troca de visitas de alto nível em 2007 e 2009.

Em setembro de 2016, o presidente Nursultan Nazarbayev se encontrou com o presidente Michel Temer à margem da cúpula do G20 na China. Durante sua visita em Astana, Aloysio Nunes, também realizou uma reunião bilateral com o vice-primeiro-ministro – ministro da Agricultura do Cazaquistão, Umirzak Shukeyev.

Durante o encontro, foi enfatizada a importância da intensificação de contatos comerciais, realização de fóruns de negócios e reuniões B2B entre representantes do Cazaquistão e comunidades empresariais brasileiras, visando garantir o desenvolvimento das relações econômicas bilaterais. No ano passado, o comércio bilateral ultrapassou $ 135 milhões, e esse número tem perspectivas de crescimento.

Chamando a atenção para as condições favoráveis criadas no Cazaquistão para negócios estrangeiros, Abdrakhmanov pediu a implementação de projetos de investimento na agricultura, aeroespacial e complexo militar-industrial, energia, mineração, tecnologias verdes e turismo, educação.

A delegação brasileira parabenizou o Cazaquistão pela participação bem-sucedida da EXPO-2017 em Astana e manifestou interesse pela cooperação com a AIFC, os Centros Internacionais de Tecnologias Verdes, projetos de investimento e start-ups de TI baseados na plataforma da exposição internacional especializada.

O Cazaquistão também manifestou interesse em aprofundar o diálogo no âmbito multilateral com o Brasil, que ocupa um papel importante em estruturas internacionais e regionais como o BRICS, G20 e Mercosul. Os dois países também concordaram em continuar a interação em questões atuais de segurança global no âmbito da ONU, com especial atenção à não-proliferação de armas nucleares e ao combate ao terrorismo internacional.