MTur direciona R$ 62 milhões para reativar turismo de Brumadinho

Em visita à região mineira afetada por desastre, Marcelo Álvaro Antônio também anunciou criação de memorial em homenagem às vítimas

Por Vanessa Sampaio, enviada especial

Brumadinho terá, no Turismo, a força que precisa para se reerguer. Com essas palavras, o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, anunciou, no sábado (16), em missão de acompanhamento das operações de busca e avaliação geotécnica em Brumadinho (MG), o aporte de R$ 62 milhões do Fundo Geral de Turismo (Fungetur) ao Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG). Ele foi recebido pelo tenente-Coronel Flávio Godinho, da coordenadoria estadual de Defesa Civil, que apresentou ao ministro as salas de sistema de comando e controle. Marcelo Antônio também fez um sobrevoo pela área atingida, onde mais de 300 pessoas trabalham nas operações.

“O momento é de luto e consternação, mas nós do governo federal estamos com corações, olhos e canetas voltados para o auxílio a toda comunidade atingida. Precisamos agir agora e evitar que as circunstâncias aprofundem ainda mais as feridas dessa tragédia. O Turismo vai devolver esperança à cidade”, emocionou-se o mineiro.

O crédito de R$ 62 milhões – com condições especiais como prazos de pagamento ampliados e encargos reduzidos – será disponibilizado para os prestadores de serviços turísticos cadastrados regularmente no Cadastur, o cadastro nacional do setor, em toda a região. Técnicos do MTur fizeram um mapeamento e identificaram 7,2 mil empresários aptos a receber os recursos, voltados especialmente para microempresas. São meios de hospedagem, agências de viagem, locadoras de veículos e transportadoras turísticas que poderão impulsionar projetos de infraestrutura turística e/ou compra de máquinas e equipamentos.

O objetivo do Ministério do Turismo, segundo o titular da Pasta, é criar uma linha de crédito extraordinária, barateando ainda mais o custo do financiamento para o setor, para reativar a atividade econômica local e dar esperança à retomada da vida na região. A medida oferece atenção emergencial após o desastre da barragem de Córrego do Feijão.

No local, ministro recebeu a ligação do presidente da República Jair Bolsonaro, que ouviu um boletim atualizado dos trabalhos no local. “A missão do Turismo é entregar um incentivo ao empreendedorismo regional, gerando empregos e renda, devolvendo a autoestima da população para trabalhar pelo crescimento da cidade”, relatou o ministro.

Durante a visita, Marcelo Antônio defendeu o Turismo como fonte de receita e motor local de geração de empregos, reduzindo a dependência econômica regional do setor de mineração. “Vamos trabalhar para que os municípios que já desenvolvem o turismo como alternativa econômica – Brumadinho, Ibirité e Mário Campos, bem como a capital Belo Horizonte – possam estruturar serviços e usar o turismo como modelo de recuperação econômica”, afirmou, ressaltando o Turismo como setor fundamental para reverter situações de crise.

O ministro também anunciou a construção do memorial em homenagem às vítimas da tragédia. “Esse crime não pode ser esquecido. A lama não vai encobrir ou apagar a história. Memoriais evitam que novos crimes semelhantes ocorram, porque não nos deixam esquecer tamanha dor”, disse.

INHOTIM – A agenda de Marcelo Alvaro Antônio incluiu, ainda, uma visita ao Instituto Inhotim, maior centro de arte ao ar livre da América Latina e importante atrativo cultural que completa a oferta turística de natureza e gastronomia da região. Reaberto após duas semanas em luto e solidariedade à comunidade atingida pela tragédia, abrigou, no início da tarde deste sábado (16), reunião para discutir parcerias que impulsionem a dinamização econômica local.

O diretor-executivo do Instituto, Antônio Grassi, falou ao ministro sobre a importância de mostrar ao Brasil que “o museu está em pleno funcionamento e que quanto mais visitantes receber, mais terá a capacidade de ancorar a retomada do município como destino turístico”.

Para o prefeito de Brumadinho, Avimar de Melo, “Inhotim gera muito emprego, mas precisamos do apoio do governo federal. Se isso não acontecer, fecharemos as portas da cidade. A cidade está em luto, desanimada. Então o nosso acordo é investir pesado no turismo, com Inhotim como carro chefe”, disse.

O ministro reiterou o apoio total do governo federal para oferecer o turismo como uma nova ponte para o desenvolvimento regional. “Estou aqui para ouvir vocês, para poder fazer o que for possível pelo turismo da cidade. Vamos fortalecer essa parceria e buscar amenizar a dor que estamos vivendo com união e trabalho por uma economia mais forte”, disse Marcelo Antônio.

O secretário nacional de Desenvolvimento e Competitividade do Turismo do MTur, Aluizer Malab, colocou as equipes técnicas da Pasta à disposição para apoiar a formatação de projetos que qualifiquem o turismo local. “Precisamos dar uma resposta positiva, e a nossa resposta é o trabalho”, disse.