Os 12 melhores queijos de Portugal

Portugal revela excelência quando se fala de gastronomia e um dos principais factores são os seus queijos. Conheça os 12 melhores queijos de Portugal

Por VxMag

Portugal é um país com uma imensa tradição na produção de queijos. Podem ser fortes ou mais suaves, de cabra, vaca ou ovelha… podem ser para simples acompanhamento de pão ou para degustar com um bom vinho. O rei dos queijos de Portugal é, sem dúvida, o queijo da Serra da Estrela. Mas não é o único. Por todo o país há imensos exemplos de produção de queijo de qualidade. De norte a sul e nas ilhas, descubra os 12 melhores queijos de Portugal.

  1. Queijo de Azeitão

Queijo de Azeitão é um queijo de ovelha português, oriundo da região de Azeitão, no distrito de Setúbal. Constitui uma denominação de origem protegida, de acordo com as normas da União Europeia. É produzido nos concelhos de Setúbal, Palmela e Sesimbra.

Os queijos de Azeitão apresentam uma forma cilíndrica, com cerca de 8 cm de diâmetro e 5 cm de altura. Possuem uma casca macia amarelada, de espessura fina. O seu peso pode variar entre os 100 e os 250 g. Passam por um período de 20 dias de cura, sendo comum serem vendidos envolvidos em papel vegetal. A sua pasta é mole, possuindo um aroma e um sabor que se assemelham de certa forma aos do queijo da serra.

  1. Queijo de Cabra Transmontano

Queijo de cabra transmontano é um queijo português oriundo da região de Trás-os-Montes e Alto Douro. Constitui uma denominação de origem protegida, de acordo com as normas da União Europeia.

Tal como o nome indica, é produzido com leite de cabra. A raça da cabra é Serrana. É um queijo de pasta muito dura, de cor esbranquiçada, apresentando alguns olhos. A coalhada é obtida usando coalho de origem animal. A maturação deste queijo dura no mínimo 60 dias, sendo os queijos lavados periodicamente durante esse processo.

  1. Queijo de Évora

Queijo de Évora é um queijo português oriundo da cidade de Évora, na região do Alentejo. Constitui uma denominação de origem protegida, de acordo com as normas da União Europeia.

Fabricado com leite de ovelha, é um queijo curado, duro ou semi duro, de cor amarelada, que vai escurecendo em contacto com o ar, sendo o seu sabor um pouco acidulado e ligeiramente picante. A crosta pode ser lisa ou um pouco rugosa. A sua produção envolve a coagulação do leite cru, após a qual se procede ao esgotamento da coalhada, usando a acção do cardo.

  1. Queijo de Nisa

Queijo de Nisa é um queijo português oriundo da localidade de Nisa, na região do Alto Alentejo. Constitui uma denominação de origem protegida, de acordo com as normas da União Europeia.

Fabricado com leite de ovelha, é um queijo semi duro curado, de cor entre o branco e o amarelo. A sua produção envolve a coagulação do leite cru, após a qual se procede ao esgotamento da coalhada, lentamente, usando uma infusão de cardo. Em tamanho pequeno, apresenta um peso entre 200 e 400 g. Em tamanho normal, apresenta entre 800 e 1300 g.

  1. Queijo do Pico

Queijo do Pico é um queijo português oriundo da Ilha do Pico, pertencente à Região Autónoma dos Açores. Constitui uma denominação de origem protegida, de acordo com as normas da União Europeia, desde Outubro de 1996.

Fabricado com leite de vaca cru, é um queijo curado, obtido através do esgotamento vagaroso da coalhada, após a utilização de coalho de origem animal. A cura deve demorar no mínimo 20 dias.

  1. Queijo do Rabaçal

O queijo, originário da vila do Rabaçal, no concelho de Penela, distrito de Coimbra, é produzido também em algumas freguesias dos concelhos de Condeixa-a-Nova, Penela, Soure, Alvaiázere, Ansião e Pombal, mantendo-se a forma tradicional de fabrico.

É um queijo curado de pasta semi-dura a dura, com poucos ou nenhuns olhos pequenos e irregulares, disseminados na massa branca mate, obtido por esgotamento lento da coalhada após a coagulação da mistura de leites de ovelha e cabra, por acção do coalho animal e de fabrico artesanal. Depois de salgados, os queijos são lavados dia sim, dia não, durante alguns dias, seguindo-se a cura por um período mínimo de 20 dias.

  1. Queijo de São Jorge

Queijo São Jorge é uma denominação de origem protegida (DOP) legalmente reservada a certo tipo de queijo fabricado com leite de vaca cru na ilha de São Jorge, Açores, a qual para efeitos de produção constitui, na sua totalidade, a Região Demarcada do Queijo São Jorge.

As características do Queijo São Jorge, a sua forma de fabrico e de certificação estão fixadas no Decreto Regulamentar Regional n.º 24/86/A, de 9 de Julho, sendo a entidade certificadora do produto a Confraria do Queijo de São Jorge, e o agrupamento gestor da DOP a UNIQUEIJO – União de Cooperativas Agrícolas da Ilha de São Jorge.

  1. Queijo de Serpa

O Queijo Serpa (DOP) é um queijo português proveniente do Alentejo, da região de Serpa. O Serpa é um queijo com Denominação de Origem Protegida (DOP), distinção confirmada pela União Europeia, numa área envolve quase a totalidade do distrito de Beja e cinco freguesias de três concelhos do distrito de Setúbal.

A partir do Serpa obtém-se o único queijo produzido em Portugal com Presidia Slow Food, um queijo de ovelha produzido da mesma forma que o Queijo Serpa, distinguindo-se deste pelo seu período de maturação mais prolongado, no mínimo de 4 meses.

  1. Queijo da Serra da Estrela

 Queijo Serra da Estrela remonta ao séc. XII é o mais antigo dos queijos portugueses e dos mais afamados de todo o Mundo. Esteve presente nas mesas reais e foi mesmo evocado por Gil Vicente no séc. XVI.

A Serra da Estrela serve de pasto às ovelhas das raças “Serra da Estrela” ou “Churra Mondegueira”, que são consideradas como as de melhor aptidão leiteira. Para que o queijo atinja a qualidade desejada deve ser feito sempre da mesma ordenha. Actualmente, o fabrico do queijo e seu ritual são feitos de forma tradicional, como há centenas de anos.

  1. Queijo Terrincho

Queijo Terrincho (DOP) é um queijo português oriundo do distrito de Bragança, na região de Trás-os-Montes e Alto Douro. Constitui uma denominação de origem protegida (DOP), de acordo com as normas da União Europeia.

Por vezes referenciado como “Queijo de Freixo”, o Terrincho é fabricado com leite de ovelha de raça Churra da Terra Quente, sendo um queijo curado, semi-mole, de pasta ligeiramente untuosa, de cor branca e uniforme, sendo o seu sabor suave.

  1. Queijo de Castelo Branco

 “Queijo de Castelo Branco”, o queijo curado, de pasta semidura ou semimole, ligeiramente amarelada, com alguns olhos pequenos, obtido por esgotamento lento da coalhada, após coagulação do leite cru de ovelha, estreme, por acção de uma infusão de cardo (Cynara cardunculus, L.)

  1. Requeijão

Em Portugal, este nome é dado a um tipo de queijo semelhante ao Ricotta italiano, sólido e normalmente com um sabor forte característico, mais salgado que a versão italiana. Este produto Português é de cor branca a branca-amarelada, sendo normalmente vendido em recipientes de plástico especialmente concebidos.