Turismo Social inova na criação de produtos e roteiros

Vencedores da categoria Turismo Social no 1º Prêmio Nacional do  Turismo. Foto: Roberto Castro/MTur

Projetos inovadores foram reconhecidos pelo Ministério do Turismo como iniciativas que estão ajudando a desenvolver o turismo brasileiro de forma inclusiva e acessível

Por Geraldo Gurgel

O Hotel Fazenda Terra dos Sonhos, no município de Bueno Brandão (MG), é uma das iniciativas modelo em inovação na área de Turismo Social no Brasil, de acordo com o júri do 1º Prêmio Nacional do Turismo, promovido pelo Ministério do Turismo. O vencedor, escolhido entre 17 projetos que disputaram o reconhecimento nesta categoria, está entre os projetos que contribuíram para o desenvolvimento do turismo brasileiro nos últimos dois anos.

O estabelecimento mineiro de hospedagem fez a adaptação e acessibilidade das unidades habitacionais construídas com a reutilização de containers de navios. Entre outros serviços, oferece chalé-container com canil para receber pessoas com deficiência visual acompanhadas de cão guia. O empreendimento faz parte da Rede dos Sonhos, que também promove a acessibilidade como fator de inclusão social no turismo em outros dois empreendimentos: o Parque dos Sonhos, também em Bueno Brandão, e o Campo dos Sonhos, em Socorro (SP), todos na Serra da Mantiqueira. O destino já é reconhecido pela adaptação dos atrativos turísticos para pessoas com deficiência ou com mobilidade reduzida.

“Eliminamos escadas no projeto. Só usamos rampas e elevadores. O hotel também conta com acessibilidade ao restaurante. Realizamos passeios de trator, trole, cavalgada e tirolesa, entre outras opções, para hóspedes com deficiência”, disse o diretor do empreendimento, Carlos Alberto Tavares de Toledo. Outro objetivo do hotel é conduzir os negócios com o menor impacto ambiental possível e também contribuir para a promoção do conceito de turismo sustentável. Algumas das ações implementadas são: uso de energia solar, política de reuso da água, política de economia de energia, programa plante ou adote uma árvore, reflorestamento, triagem de resíduos sólidos, coleta seletiva do lixo, centro de compostagem, minhocário para produção de humos, horta orgânica e tratamento dos efluentes.

O Departamento Nacional do SESC, no Rio de Janeiro, ficou com a segunda colocação entre as 17 iniciativas da categoria Turismo Social. O projeto foi reconhecido por promover a capacitação em roteiros inovadores para o Turismo Social. Os profissionais do Sesc, responsáveis pela elaboração de excursões e passeios, foram preparados para identificar as diferenças entre roteiros turísticos panorâmicos e temáticos e apresentar as possibilidades de promover a educação e desenvolver os destinos por meio do turismo. Diversos roteiros foram criados, realizados e debatidos com base nos princípios do Turismo Social.

O trabalho contou com a participação de guias de turismo e especialistas nos temas abordados, músicos, atores, historiadores, líderes comunitários e contadores de história, que incorporaram informações sobre suas especialidades. Desta forma, cada roteiro ganhou um sentido próprio, fazendo com que a história daquela localidade fosse contada de diferentes formas, de um modo autêntico e original. “Alcançamos vários resultados, como a criação de um novo portfólio de roteiros, valorização da cultura local, resgate de culturas e o desenvolvimento do turismo nos destinos”, destacou Ana Márcia Varela, coordenadora do projeto.

O projeto de inclusão na 46ª edição do Festival de Cinema de Gramado (RS) conquistou a 3ª colocação na premiação do MTur. A Gramadotur e a Prefeitura de Gramado tornaram o Festival de Cinema de Gramado acessível a todos os públicos. Na última edição do festival, em agosto de 2018, foram realizadas 12 sessões com recursos de acessibilidade como legenda descritiva (descrição de elementos que não podem ser percebidos por quem tem baixa ou nenhuma audição) e audiodescrição (narração das cenas exibidas na tela por profissionais audiodescritores para facilitar o entendimento de cegos). Além disso, as cerimônias oficiais, como abertura e premiação, contaram com tradução em Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS).

O 46º Festival de Cinema de Gramado também recebeu grupos em defesa da acessibilidade para deficientes nas salas de cinema, a exemplo do “Legenda para quem não ouve, mas se emociona” e a Fundação de Articulação e Desenvolvimento de Políticas Públicas para Pessoas com Deficiência e com Altas Habilidades no Rio Grande do Sul (FADERS). “Alguns dos resultados obtidos foram o acesso de um novo público, reconhecimento pelo público da iniciativa inovadora e abertura de novas oportunidades para programação e experiências”, ressaltou Diego Scariot, gerente executivo do festival. Ele disse que, para o festival deste ano, o projeto deverá ser ampliado.

BOAS PRÁTICAS – O Ministério do Turismo criou um Banco de Boas Práticas para divulgar as dez iniciativas com melhor classificação, por categoria, no 1º Prêmio Nacional do Turismo. O objetivo é dar visibilidade e multiplicar os casos de sucesso do setor, disponibilizando contatos, vídeos e materiais informativos apresentados pelos proponentes inscritos no certame. Das 241 propostas apresentadas, 70 podem ser consultadas NESTE LINK.